Câmara hiperbárica

Instalada no Hospital Privado de Portimão

Câmara hiperbárica

Para garantir a máxima segurança é imprescindível a aquisição, instalação e adaptação hospitalar de uma Câmara Hiperbárica.

Estava incluído no projecto Ocean Revival e já foi instalado uma Câmara Hiperbárica no Hospital Privado de Portimão. Esta fica ao serviço dos mergulhadores, permitindo manter uma pressão controlada em eventuais situações de emergência.

No entanto, este equipamento está sobretudo ao serviço da comunidade local e do país, constituindo assim um importante investimento na saúde e assegurando, em suma, outras aplicações medicinais noutro género de terapias.

Medicina hiperbárica

A Oxigenoterapia Hiperbárica ou OHB é uma modalidade terapêutica na qual um paciente é submetido à inalação de oxigênio puro em uma pressão maior que a pressão atmosférica (em geral, de 2 a 3 atm), dentro de uma câmara hermeticamente fechada com paredes rígidas (câmara câmara hiperbárica).

O equipamento básico da OHB é a câmara hiperbárica. Essas câmaras são, em essência, cilindros metálicos resistentes à pressão (estanques), dotados de vigias ou janelas. Para segurança e conforto do paciente, as câmaras hiperbáricas são dotadas de um sistema de rádio que mantém a comunicação entre o paciente e equipe fora da câmara.

Existem 2 tipos de câmara hiperbárica: individuais (monopacientes) e multipacientes. Ambas permitem o uso de ventiladores mecânicos (respiradores), bombas para infusões venosas, transfusões, e outros procedimentos feitos por equipamentos especialmente projetados para funcionamento em ambiente hiperbárico.

Câmaras multipacientes

As câmeras multipacientes permitem a entrada de 2 ou mais pessoas simultaneamente, permitindo a entrada de acompanhante (técnico, enfermeiro ou médico). Para que os acompanhantes não sejam afetados pelo tratamento, esse tipo de câmara é pressurizado com ar comprimido, sendo o oxigênio fornecido para os pacientes através de máscaras ou capuzes específicos.

Durante a oxigenioterapia hiperbárica conduzido em câmaras multiplace, um técnico de enfermagem especialmente treinado, enfermeiras hiperbaristas ou mesmo o médico hiperbarista (sendo assim chamados de "guias internos"), acompanham os pacientes no interior da câmara durante a sessão, assistindo-os diretamente na colocação das máscaras ou capuzes ou administrando medicamentos. Estas câmaras tem a grande vantagem de permitir a entrada de macas e outros equipamentos úteis no tratamento de pacientes críticos. As sessões costumam durar 120 minutos (2 horas). Câmaras multiplace permitem a monitoração de sinais vitais de pacientes graves durante o tratamento.

Fonte, Copyright e Publicação original deste artigo: Wikipédia, a enciclopédia livre.

As principais entidades que apoiam o projecto Ocean Revival: